Animais de estimação estão sujeitos a desenvolver doenças renais que prejudicam todo o organismo e precisam ser tratadas precocemente e com eficácia.

Tipos de injúrias renais

Existem dois tipos de injúria renal que afetam cães e gatos, a crônica e a aguda. Mais comum em animais idosos (a partir dos oito anos), o tipo crônico é progressivo, uma vez que o rim vai sofrendo degeneração gradual com o passar do tempo. Para diagnóstico, é necessário realizar o ultrassom abdominal, que permite visualizar o órgão e identificar alterações de imagem, além de exames que permitam analisar a função renal. Esses exames são o de urina rotina, a verificação de proteínas na proteína e as dosagens séricas de uréia e creatinina. Esses animais também necessitam que a sua pressão arterial e função cardiovascular estejam devidamente controladas e, para isso, precisam de exames de função cardiovascular.

vet_ultra[1]

É um exame de imagem que fornece informações sobre os órgãos abdominais do animal. Não invasivo, indolor e sem radiação.

Insuficiência renal aguda.

Imagem ultrassonográfica demonstrando hiperecogenicidade renal e perda da definição córticomedular decorrente de displasia renal em um filhote de shih-tzu (A) e decorrente de doença renal crônica em Poodle de 13 anos (B).

Fonte: HV-ULBRA, 2014.

Já a versão aguda da doença renal pode aparecer em cães e gatos de qualquer idade e é muito perigosa para o animal, pois pode matá-lo caso não seja controlada a tempo ou evoluir para a forma crônica, incurável. Ela pode ser causada pelo uso prolongado de medicamentos que agridem os rins, por ingestão de determinados alimentos, como por exemplo, a uva e em decorrência de infecções que prejudicam o órgão. Os exames de imagem, urina e sangue são também realizados para seu diagnóstico, mas, diferentemente da forma crônica, o ultrassom não costuma demonstrar alterações de ecogenicidade.

Tratamento

“Sempre que suspeitamos de doenças no sistema renal solicitamos os exames para buscar o tratamento mais adequado. No ultrassom, também avaliamos todos os órgãos do sistema geniturinário, já que estes podem estar também afetados”, explica o médico-veterinário do Visiovet – Diagnóstico Veterinário, Dr. Felipe Muniz. Os tratamentos variam de acordo com as alterações que o animal apresenta, podendo incluir fluidoterapia e medicações. “Em casos de doença renal aguda, a descoberta precoce com o tratamento efetivo conseguem reverter o quadro. Alguns animais não se curam completamente, mas podem ser controlados, assim como os que sofrem da forma crônica”, acrescenta o Dr. Felipe.

“O ultrassom abdominal nos dá informações sobre o organismo do animal. Podemos ver se o órgão está alterado e se outras estruturas foram afetadas e, com isso, oferecer um tratamento completo ao animal.”

Dr. Felipe Muniz, médico-veterinário do Visiovet – Diagnóstico Veterinário

Os tutores de animais devem sempre observar seu animal e buscar um médico-veterinário quando perceberem alterações como apetite seletivo, emagrecimento progressivo, diarréia e vômitos. Esses sintomas, comuns em muitas doenças veterinárias, serão avaliados pelo profissional, que buscará através do histórico, exames físico, de imagem e laboratoriais chegar a um diagnóstico. “O exame clínico faz muita diferença para descobrir o que o animal tem e deve ser o mais cedo possível. É importante lembrar que os rins interferem no funcionamento de todo o organismo e quanto antes conseguirmos diagnosticar e tratar alterações em sua função, maiores são as chances dos pacientes viverem bem e por muitos anos”, conclui o médico-veterinário.

Saiba como identificar sintomas em um gato