Novembro Azul Animal

Doenças de próstata são comuns em cães, principalmente os que não foram castrados

No mês de novembro, todo o mundo se une em prol de uma mesma causa: a conscientização, prevenção e combate ao câncer de próstata. Homens de todas as idades enfrentam o temido toque retal, fundamental para sua detecção. Esse câncer atinge cerca de 60 mil homens todos anos no Brasil.

Pouca gente sabe, mas as doenças de próstata acometem também os cães, principalmente os não castrados. “Quando o cão é castrado, a próstata tende a diminuir de tamanho, reduzindo o risco de alterações neste orgão ” afirma a veterinária da Visiovet Luana Rocha, responsável pelo setor de Tomografia Computadorizada (TC).

Os exames de imagem, aliás, são grandes aliados na descoberta das principais alterações prostáticas em cães:

  • Hiperplasia benigna, caracterizada pela hipertrofia da próstrata,
  • Neoplasia, em geral tumores malignos que podem invadir órgãos adjacentes e causar metástases
  • Prostatite, que pode ser aguda ou crônica.
“Quando o cão é castrado, a próstata tende a diminuir de tamanho, reduzindo o risco de alterações neste orgão”
Luana Rocha, Visiovet

Infelizmente, os cães não conseguem se comunicar com clareza, por isso, é preciso prestar muita atenção em seu comportamento. Os sinais clínicos vão desde a dificuldade de urinar e defecar à perda de peso e fraqueza dos membros pélvicos. Também pode-se observar febre, corrimento uretral, dores abdominais e lombares e edema de escroto e prepúcio. Cães acima de sete anos devem ser avaliados por um médico veterinário a cada seis meses, o que favorece diagnósticos precoces com tratamentos simples e definitivos.